Sistema Head-Heart-Self: Quando o bem-estar é mais crítico do que nunca

Compartilhe no facebook
Compartilhe no twitter
Compartilhe no linkedin

Em julho de 1914, na Grã-Bretanha, a eclosão do que viria a ser a "Primeira Guerra Mundial" ou a "guerra para acabar com todas as guerras", a população tinha um ponto de vista muito diferente do que o que viria a se tornar uma dura realidade. Havia uma crença entre a população britânica de que a guerra "terminaria no Natal" indicando que seria uma guerra rápida e decisiva e que a normalidade seria retomada muito rapidamente. Lamentavelmente, em janeiro de 1915, ficou claro que a esperança inicial seria substituída pela angústia e realidade de que esta guerra, como de fato aconteceu, seria muito mais longa e teria um dos maiores impactos no século XX.

O objetivo disto é refletir que em março de 2020, quando a maioria das escolas mudou para o aprendizado online, havia essa esperança e crença de que poderíamos voltar ao nosso negócio em breve - possivelmente o mais recente seria abrir nossas escolas para o próximo ano acadêmico em agosto de 2020. Agora, quando nos aproximamos de novembro, as escolas ainda fecham, as restrições LSSR (Large Scale Social Restrictions - Restrições Sociais em Grande Escala) estão bem estabelecidas, agora é nosso momento de sentir a angústia e enfrentar a realidade de que esta pandemia não será resolvida tão rapidamente quanto esperávamos. Também é muito parecido com a COVID-19 que terá um impacto incrivelmente grande sobre isto, nosso século XXI.

So where does it leave schools? In both the international and national sector, the tried and tested model of assessment through examinations was not possible, so alternatives had to be found. Online teaching is not the same as face-to-face: teachers have had to be agile in their approach; inquiry-based learning and creative tasks have come into prominence. Parents have had a first-hand experience at the skills that were in the classroom now coming into their living room and we have greatly appreciated their support and feedback. Words that have been rejuvenated in our lexicon before COVID-19 have become even more prominent. Resilience, Courage, Bravery are all ones that we iterate to ourselves, our students and colleagues regularly.

Yet, there is one word, one type of state of mind and one genuine concern that has superseded many elements of the education model that we can currently provide: WELLBEING. Now more than ever is this a priority for schools as we look to support our students, their families, our colleagues and ourselves is the major time of disruption.

No Escola Britânica de Jacarta (BSJ)Como em todas as outras escolas, o tema do Bem-estar tem sido a nossa prioridade em termos de proporcionar a melhor provisão possível para nossos alunos, nossas famílias, nosso pessoal e nossa comunidade. A grande questão permanece: o que é Bem-estar para uma escola e como ela se parece? Para nós, como escola, seja presencial ou de aprendizagem on-line, é fornecer uma estrutura para que nossos alunos se sintam seguros física e emocionalmente (mesmo em aprendizagem remota), que possamos fornecer apoio e orientação para garantir que eles possam enfrentar e prosperar e serem ouvidos e ainda mais apoiados de qualquer forma que seja necessária nestes tempos extraordinários.

In August 2019, we altered our timetable so that every student in the Secondary School has a thirty-minute wellbeing lesson. In this time, we have used two stellar global providers of innovative and pioneering Wellbeing programmes to ensure that our students can sense that there are depth and meaning to our programme. Since January 2019, BSJ has introduced Compassionate Systems Thinking and Tools with training to both our students and staff. The collaboration has been with the Massachusetts Institute of Technology (MIT) headed by the renowned Dr Peter Senge and Professor Mette Boell. The purpose is to bring better training and meaning to the Wellbeing programme at BSJ. In Secondary School, there is a thirty-minute period a day that is devoted purely to wellbeing. We are also working with the Institute of Positive Education from Geelong Grammar School in Melbourne, Australia, that has created a comprehensive Wellbeing curriculum. In August 2020, we launched the MIT-BSJ Wellbeing Framework for students in Years 7-8-9 (11-14-year-olds). We were not daunted by launching in an online capacity. The anchor of our Wellbeing programme is one that is founded upon a Mandala, four areas that work together in unison to improve ourselves and our wellbeing. The four areas for BSJ are Head – Heart – Self – System.

Todas as crianças embarcam em uma viagem, a grande maioria de seu tempo que é passado nas escolas. A viagem é muito infantil, ou no nosso caso, nossos alunos encontram seu caminho da infância à adolescência e da adolescência à vida adulta. Para ajudá-los, o primeiro tópico que abordamos, usando as ferramentas Compassionate Systems do MIT, é "conhecer a mim mesmo". Os alunos guiados pelos professores refletem e vêem sua jornada a partir de sua cabeça - como estou indo; como estou lidando e compreendendo? O Coração, como entender a mim mesmo e minhas emoções? O Eu - qual é a minha jornada e como vou chegar lá? E o Sistema - poderia ser seu próprio sistema familiar, o sistema da escola ou possivelmente seu próprio ecossistema - como esse sistema os está apoiando e como precisa melhorar? O que ele faz é dar aos estudantes um maior senso de compreensão através da investigação de si mesmos e posteriormente de como eles aprendem.

Enquanto esperamos por mudanças positivas em nosso dia-a-dia, é o momento de ter uma mentalidade de crescimento, de ver como podemos melhorar para um mundo que está sendo perturbado atualmente e que terá um grande impacto em todos os nossos futuros. Quando se trata de Bem-estar, muito simplesmente em BSJnão fazer nada não é uma opção. Devemos a nós mesmos, nossa missão e visão e nossa comunidade proporcionar o melhor bem-estar para todos nós nestes tempos sem precedentes.

Escrito por

Escola Britânica de Jacarta

British School Jakarta

The British School Jakarta (BSJ) was founded in 1974 with support from the British Embassy to provide an education for internationally mobile students in the city. In 1994, it moved to Bintaro; a 44 acre site that has been constructed to provide a world class education in terms of bespoke teaching and learning in the classroom and facilities that include a 750 seater theatre, sports, musical and language centres.